Pico do Areeiro
Pico do Areeiro Aos 1818 metros de altitude, o Pico do Areeiro é um dos pontos mais altos da Ilha da Madeira.
Há uma estrada de fácil acesso que nos leva ao cume e lá pode encontrar-se lugar para estacionar, um restaurante, uma loja de recordações e um radar militar!
No Pico do Areeiro inicia-se um percurso pedestre em direçcão ao Pico Ruivo que passa por paisagens impressionantes, passagens em paredes de rocha, em cristas vertiginosas e túneis. Este percurso é visitado em média por cerca de 1000 pessoas por dia!

Ver Galeria

-----

At 1818 meters high, Pico do Areeiro is one of the highest places of Madeira Island.
There's an easy access road that leads us to the summit and one can find parking place, a restaurant, a souvenir shop and a military radar!
At Pico do Areeiro starts a trekking trail towards Pico Ruivo the crosses amazing landscapes, passages through rock walls, ridges and tunnels. This path is visited by an average of 1000 tourists every day!

View gallery


iStockProblems
iStockProblems
Quem ainda não ouviu falar da agência de fotografias iStockphoto?
Se só ouviram recentemente, é provável que tenha sido por causa de todos os problemas que eles têm criado aos seus fotógrafos e aos seus clientes.
Problemas suficientes para eu considerar desistir dessa agência...

Um pouco de história...
Em 2000 um grupo de amigos visionários, liderados por Bruce Livingstone, decidiu que era hora de criar uma agência de fotografias microstock. Foi o nascimento de uma comunidade única. Não havia nada no mercado remotamente parecido e veio democratizar o uso e venda de imagens a nível global. Verdadeiros pioneiros.
Microstock baseia-se no princípio de vender imagens a preços muito baixos e os rendimentos valem a pena pelo volume que geram.
Quase nenhum fotógrafo "sério e profissional" abarcou a ideia. Hoje em dia quase nenhum fotógrafo sério e profissional a pode ignorar e a grande maioria faz parte do negócio.
Durante muitos anos o site e o negócio cresceram saudavelmente, mantendo sempre a liderança do mercado e mantendo a comunidade coesa. Eu tenho fotografias à venda nesta agência desde 2002.
Depois veio a Getty e comprou o iStockphoto com a promessa de mais vendas, mais protagonismo, mais liderança.
O Bruce não quis ficar com esse negócio e, tendo sido ultrapassado nos votos pela quase totalidade dos fundadores, saiu da empresa.

Desde então tem sido um descalabro contínuo.
O website começou a ser vítima de bugs constantes, muitos deles graves e muito graves. Hoje em dia há um thread mensal, aberto e mantido pelo staff do iStockphoto, a indicar as dezenas de bugs e erros já reportados para evitar que clientes e fotógrafos (fotógrafos usado no sentido genérico de contribuidores de conteúdo: fotos, ilustração, vídeo e som) estejam constantemente a reportá-los.
O facto é que nunca há, ou quando há nunca é cumprida, data de resolução desses problemas. É perfeitamente comum que os erros que foram introduzidos com um simples update de um pormenor de layout sejam tão graves como impedir que a pesquisa funcione e que a solução completa demore meses a chegar.
Eu próprio reportei em tempos um erro desses relacionado com a pesquisa. Dei-me ao trabalho de fazer o debug do problema, indiquei-o com todos os detalhes à empresa. Era um erro crasso de javascript numa única linha de código. Demorou mais de dois meses a ser corrigido exactamente do modo como eu indiquei. É claro que desisti de fazer este tipo de "disparate".

A par de todas estas questões técnicas a Getty começou a impor novas royalties, novas comissões, novos esquemas de pagamento. Sem excepção, para aqueles fotógrafos que não são exclusivos, os resultados foram sempre ganhar menos.
Hoje em dia a grande maioria de fotógrafos não exclusivos ganha 15% do valor da venda das fotografias. Não é engano, são quinze por cento. São as comissões mais baixas de todo o mercado. E quando há promoções a royalty ainda é calculada sobre o preço promocional. É comum ter vendas que resultam em tão pouco como 7 cêntimos (de dólar americano) para o criador do conteúdo.
A percentagem dessas comissões é determinada pelo valor de vendas total que um contribuidor consegue gerar para a empresa. Mas depois a Getty começou a desviar as vendas para outros canais, o denominado partner program (PP) e essas vendas, deixaram de contribuir para o apuramento do nível de comissões embora, é claro, tenham contribuído para reduzir as vendas directas dentro do iStockphoto.
A mais recente evolução é o lançamento de pacotes de subscrição de imagens que, mesmo sendo vendidos directamente no site, também não contam para o apuramento do nível de comissões. Neste caso em particular a empresa está mesmo a usar o esquema de subscrições para reduzir grandemente as royalties a todos os fotógrafos, não só os não exclusivos.

E finalmente o bug do ano, que foi o que causou eu estar a escrever este artigo e a outras decisões.
O PP é pago sempre, excepto quando há problemas técnicos, até ao final do mês seguinte ao que dizem respeito. Em Dezembro os fotógrafos acharam muito estranho que as vendas PP de Novembro tenham descido tanto em relação às dos dois meses anteriores, talvez 1/3 do que eram em média, e pediram verificações.
O resultado das verificações, depois de muito exigidas, foi no mínimo surpreendente. Alegadamente, o que se tinha passado é que tinha havido um erro nos dois meses anteriores e os fotógrafos tinham sido pagos mais do que era suposto! E foi desde logo anunciado um saque (recoupment) às contas de todos os envolvidos (cerca de 25 mil contribuidores) para reaver esse dinheiro.
Foram precisos meses para apurar o que aconteceu e nunca houve mais explicações para além de "erros".

Finalmente, no final de Fevereiro, foi anunciado quanto seria retirado das contas de cada um, ainda sem qualquer explicação sequer sobre que erro foi esse. Nem pedido de desculpas, nem "lamentamos" e sobretudo, sem qualquer demonstração dos cálculos correctivos para além do valor total. O saque será feito em 6 prestações mensais e alguns fotógrafos verão ser-lhes retirados mais de 1500USD. Em alguns casos representa 60% dos ganhos desses programas nos meses a que tudo isto refere (Setembro e Outubro de 2013).
Depois de pedidos de esclarecimento em massa por parte da comunidade finalmente veio uma explicação sobre a natureza do erro. Ainda assim, a primeira prestação foi sacada sem que qualquer tipo de relatório tenha sido enviado. Depois veio um pedido de desculpas oficial e depois começaram a ser enviados ficheiros CSV a quem os pediu. Só no final de toda esta confusão é que a Getty/iStockphoto considerou que era necessário detalhar o erro e detalhar as contas do que ia sacar a cada contribuidor.
Vergonhoso é o mínimo que se pode dizer sobre tudo isto.

Actualmente o iStockphoto perdeu, obviamente, a liderança no mercado e está em declínio. Não sei se vão conseguir estabilizar em algum ponto abaixo do top, como uma agência de segunda categoria, ou se vão simplesmente desaparecer, mas sei que vão descer bastante mais, quanto mais não seja porque estão a perder a base de contribuidores que alimenta o negócio deles.
Pela minha parte, se não houvesse qualquer explicação, já tinha decidido desactivar todo, ou quase todo, o meu portfólio no iStockphoto (mais de 600 fotografias). Como houve explicações moderei a minha decisão para deixar de submeter conteúdo novo. Para mim, e para milhares de outros, o ideal era que eles desaparecessem e que os seus clientes se distribuissem pela concorrência onde todos somos tratados com mais justiça e muitas vezes até apreço.
Infelizmente, estou certo que a Getty já fez muitos milhões com tudo isto e já lhe compensou.

O meu mais sincero conselho é deixar de comprar nesta agência. Se isso for economicamente viável, deixar de contribuir com eles. Como estão só podem causar prejuízo a todos os intervenientes e se o mercado os forçar a sair, outros aparecerão para ocupar o lugar. Não vejo que seja possível um novo player poder prestar serviços tão maus.
Não acreditam? Já está a aparecer um novo player e já começa a dar cartas tirando mercado não só ao iStockphoto, mas também às outras agências. Espero ter motivos para escrever sobre eles dentro em breve!

Veja aqui as outras agências onde tenho portfólio de fotografia:

      Armando Frazão - Fotografia de Stock / Bancos de Imagem

Destas recomendo para já o Dreamstime e o ShutterStock.


Porto Santo
Porto Santo A Ilha Dourada

Porto Santo foi a primeira ilha a ser descoberta no arquipélago da Madeira. O seu nome advém de se ter tornado um porto de abrigo seguro perante uma forte tempestade.
A ilha é pequena e pode visitar-se completamente num só dia. Mas a praia de areias douradas, supostamente terapêuticas, é a sua maior atracção e convida a muito mais tempo de descanso e relaxamento.

Ver Galeria

-----

The Golden Island

Porto Santo was the first of the islands of Madeira Archipelago to be discovered by the portuguese navigators. Its name comes from becoming a safe harbour before a huge storm.
The island is small and can be visited in just one day. But the beach, supposedly therapeutical, is its main attration and invites for a lot more time of rest and relaxation.

View gallery


Escrever é como ler, mas mais
O meu processo criativo

Escrever é como ler, mas mais
Escrever pode ser parecido com ler.
Claro, vai depender da pessoa, mas para mim é assim, o meu processo criativo funciona desse modo.
Explicando:

Quando lemos vamos descobrindo a trama da estória.
conseguimos por vezes prever o que vai acontecer, por vezes dão-nos a volta e fazem-nos uma surpresa. Vamo-nos identificando com algumas personagens ou factos, conhecendo outros.
É uma descoberta.

Quando escrevo vou descobrindo a trama da estória, que parece que se constrói sozinha.
Por vezes consigo ver o que vai acontecer e encaminhar as coisas nesse sentido, por vezes "consigo prever" e depois a estória troca-me as voltas, faz-me uma surpresa e leva-me numa direcção completamente diferente.
Vou-me identificando com alguns personagens e os factos reflectem por vezes o que sinto ou vivo. Outros factos e personagens vou apenas conhecendo. Ambos se parecem construir sozinhos.
É uma descoberta.

A principal diferença está na intensidade com que se vive o acto de ler ou o de escrever. E isso é algo que só consigo descrever sintomaticamente, mas não sei explicar.

Quando não se sabe o que vai acontecer numa estória e, a cada linha escrita, se fica a perceber e a ver mais um pouco...
Quando não se sabe a personalidade de uma personagem, mas a cada intervenção dele, ele se vai revelando e vamos gostando dele, ou não...
Quando não se sabe a relação entre os acontecimentos nem porque é que isto ou aquilo é assim, mas tudo isso se vai esclarecendo no devido momento...
Quando nem sequer há um objectivo, mas ele surge naturalmente no contexto do que está a acontecer...

Para mim isso não é nada menos do que magia!
E não é uma magia qualquer, é uma magia nossa, do escritor, minha!
E sinto-me um feiticeiro, um criador de mundos.
E sinto-me bem, feliz mesmo!


E tudo isto porque, aproveitando uma ideia de há um tempo e um concurso literário, comecei a escrever um conto.
Sem dar por isso já escrevi uma estória seis vezes maior que o limite para o conto. E gosto dessa estória, gosto mesmo muito dessa estória, que acho que ainda só comecei a escrever :)



Um excelente 2014 para todos!


PAGWAGAYA - PROMOÇÃO
-40%
€10 directamente ao autor *
[Quero um exemplar]

-25%
€12,75 Na Loja online do Sítio do Livro
Na Livraria Barata na Av. de Roma em Lisboa

* Acresce portes de envio quando não possa ser entregue em mãos


Promoções Pagwagaya


Cabo da Roca
Cabo da Roca Onde a terra se acaba e o mar começa

O ponto mais ocidental da Europa continental. Aqui se vinham ver as caravelas partir porque era daqui que até mais longe se avistavam.
Uma área repleta de locais de grande beleza paisagística pelas diversas formações geológicas, praias, fauna e vegetação com algumas particularidades e endemismos próprios.

Ver Galeria

-----

The westernmost point of Europe mainland. Here one would come to see the caravels depart since this was the place where they could be sighted further into the ocean.
It's a place of great landscapes, packed with beautiful spots like beachs, cliffs and other geologic formations and fauna and flora with some endemic characteristics.

View gallery


Castelo de Vide
Castelo de Vide
Uma vila com muita História de Portugal.
Caracterizada desde tempos imemoráveis pela abundante presença de água no meio do seco Alto Alentejo, foi procurada por inúmeros povos. A principal influência quiçá do povo Judeu que por mais que uma vez na História aqui acorreu, ou procurar riquezas ou a procurar abrigo.

Ver Galeria

-----

A town full of Portuguese History.
Since imemorable time known by the abundance of water in the middle of, otherwise dry, lands of Alto Alentejo, it was sought by numerous peoples. The main influence is probably of the Jewish peoplw that, for more than once in History, gathered here looking for wealth or looking for shelter.

Look at gallery


ROSA SILVESTRE

Rosa... com espinhos, silvestre,
Selvagem mesmo, serão silvas?
Espinhos fortes, quase impiedosos,
Arranham e ferem
(...)


Ler poema completo
ROSA SILVESTRE


Velas de Cera de Abelha
Bees wax candles

Velas de Cera de Abelha
Ditou o acaso que a minha segunda incursão no mundo da criação de velas fosse algo inesperado!
A cera das abelhas é o material que elas criam e com que fazem os favos de onde é colhido o mel. Quando o mel é colhido, pelo menos parte dessa cera não volta à colmeia e é vendido para diversas aplicações.
Uma das possibilidades é a criação de velas.

A cera de abelhas é um produto 100% natural, naturalmente perfurmado e, quando usado em velas, sem os inconvenientes da queima de produtos derivados de petróleo, como é o caso da parafina usada nas velas habituais.
É contudo um material mais difícil de trabalhar para fazer velas já que facilmente ganha fissuras quando solidifica no formato das velas.
A queima desta cera natural também é mais lenta e menos quente pelo que é menos flexível e torna complicado produzir velas muito grossas e que queimem bem na totalidade.
Mas existe uma alternativa muito simples para fazer velas de cera de abelhas: comprar, ou fazer, folhas de cera e simplesmente enrolá-las firmemente e de modo bem justo à volta do pavio. É um processo mais seguro, mais limpo e que, com a ajuda de uma régua, um x-acto, ou outro objecto cortante, e as nossas mãos permite uma elasticidade criativa enorme.

Esta oportunidade que se me deparou pode perfeitamente mudar o que no futuro venha a fazer com velas! :)

Leia também o meu primeiro artigo sobre velas: Fazer velas em casa



-----
Chance dictated that my second venture in the world of makind candles would be something unexpected!
Bees wax is the raw material which bees create and use to make honeycombs from here we harvest honey. After the honey harvest, at least part of that wax does not return to the hive and is sold for various applications.
One of them can be the making of candles.

Bees wax is a 100% natural product, naturaly aromatic and, when used to make candles, without the inconvenients of the burning of crude oil derivatives, like paraffin wax used to make regular candles.
It is however a material harder to work with for making candles since it cracks easily when cooling down in a candle shape.
The burning of this natural wax is also slower and less hot and that makes it less flexible and makes it hard to create large thick candles that burn completely to ground.
But there is a simpler way of making bees wax candles: buy, or make, wax sheets and simply roll them firmly and tight around the wick. It's a safer process, cleaner and, with the help of a rule, a X-acto or other cutting tool, and our hands allows for an enormous creativity span.

This opportunity that came to me may very well change what I might be doing in the future about candles! :)

Also read my first article about candles: Homemade candles


Fotografias 360 Graus
360 Degrees Photography

As fotografias 360 graus são um caso especial de fotografia panorâmica em que toda a área em redor é apanhada em imagem.
Recolhi algumas das minhas imagens 360 graus e falei on pouco sobre isso.

Clique aqui para ler mais: Fotografias 360º

360 do Castelo de Monsaraz / Monsaraz Castle 360

360 degrees photography is a special case of panoramic photography where all area around us is registered into image.
I've put together some of my 360 degrees images and wrote a bit about it.

Click here to read more: 360º Photography


Apresentação sobre orquídeas selvagens
Wild orchids presentation

Apresentação sobre orquídeas selvagens
No dia 29 de Junho fiz uma apresentação sobre orquídeas selvagens de portugal num edifício da Portugal Telecom.
O que destacava esta apresentação de outras era a audiência com uma média de idades de cerca de 8 anos.
A apresentação foi integrada num programa de actividades organizadas pelo Bookpoint da PT e dedicadas aos filhos dos colaboradores da referida empresa. O Bookpoint é uma rede de bibliotecas/mediatecas.

Não foi a minha primeira experiência a fazer apresentações para este tipo de audiência (foi a segunda!) e isso acabou por se notar. Foi um bocado muito bem passado, onde a atenção dos miúdos não se desviou das imagens e do assunto apresentado. Gosto de pensar que estas crianças, um dia quando estiverem a passear pelo campo/montanhas, vão saber o que é uma orquídea selvagem se a encontrarem, vão-se recordar de algumas das suas espectaculares características evolutivas e vão saber os cuidados que devem ter com este tipo de plantas.

Mais sobre orquídeas selvagens aqui: http://www.armandofrazao.com/?a=20120830
e aqui: http://www.armandofrazao.com/?a=20130605

(*) Infelizmente não obtive autorização para mostrar fotografias com as crianças


-----

On the 29th of June I made a presentation about portuguese wild orchids at Portugal Telecom (PT).
What told that presentation appart from others was the average age of about 8 years old!
This presentation was part of an activity program made by PT Bookpoint and aiming at children of PT employers. Bookpoint is the network of libraries of PT.

This was not my first experience presenting to kids (it was the second) and that showed up. It was a very nice afternoon where kids attention was always on the images and on the subject presented.
I like to think that from now on, when this kids are walking through meadows and montains, they'll be able to know an orchid if they find one, they'll remember some of it's amazing evolutive characteristics and will know what kind of care they need to have with these plants.

More about wild orchids here: http://www.armandofrazao.com/?a=20120830
and here: http://www.armandofrazao.com/?a=20130605

(*) Unfortunately I could not get permission to show photos with the kids


Dê-me um Título e eu dou-lhe um livro
Give me a Title and I'll give you a book

A Revolta de Tuong / Tuong's Rebellion É isso mesmo, dê-me um grande título e eu ofereço-lhe um livro!
O livro que estou presentemente a escrever nasceu num sonho, um sonho em contexto de ficção científica. O primeiro nome que dei a essa estória foi "Sonhos Scifi". Obviamente que esse título deixou de fazer sentido logo que a estória passou muito além da inspiração inicial do sonho.
Então chamei-lhe "A Revolta de Tuong".
Ainda assim não estou completamente satisfeito com este título e, como esta estória é uma aventura partilhada com todos através da internet, que mais adequado que serem os leitores a escolher-lhe um bom título?

Pense num bom título para esta estória, diga-me que o posso usar sem contrapartidas e faça like aqui no meu website ou na minha página facebook.
Em troca eu ofereço-lhe um livro e coloco o crédito do título com o seu nome na ficha técnica deste novo livro quando ele for publicado.

Poderá escolher entre um dos meus actuais livros ou pode escolher receber um dos primeiros exemplares quando esta nova estória for publicada.
Leia e acompanhe toda a estória já divulgada d'A Revolta de Tuong aqui: www.armandofrazao.com/l_tuong.html

Condições de participação
1 - Para participar envie-me a sua sugestão de título para a estória agora designada de "As aventuras de Tuong", através do formulário de contacto deste website, ou deixe-a num comentário/mensagem na minha página facebook.
1.1 - Só são aceites participações via facebook de pessoas que façam like na minha página facebook em www.facebook.com/FrazaoArmando.
1.2 - Só são aceites participações via website de pessoas que forneçam um endereço de email válido.
2 - É imperativo que autorize a utilização do título por si sugerido sem contrapartidas para além do "prémio" indicado no ponto abaixo.
3 - A pessoa que sugerir o título seleccionado terá direito a escolher como "prémio" um dos livros que já tenho publicados (Pagwagaya ou Sonhos da Atlântida) ou um exemplar do livro desta nova estória assim que for publicado. Na ficha técnica do livro será dado o crédito ao autor do título seleccionado.
4 - Serão valorizados para o título os seguintes factores:
    Relevância para a estória e/ou para as mensagens aí transmitidas;
    Sonoridade. Eficiência ao nível de ser forte, causar impacte, ser fácil de ler e de memorizar;
    Poder ser traduzido para inglês mantendo as características acima;
    Aplicabilidade gráfica no desenho de capa do livro.
5 - Eu, Armando Frazão e autor da estória, sou o júri e, apesar de ouvir os comentários pertinentes ou mesmo solicitar opiniões, a decisão final será somente minha.
6 - Se nenhum dos títulos sugeridos for de meu agrado reservo-me o direito de não atribuir qualquer "prémio". 7 - Este desafio é válido até à altura em que eu decida avançar para publicação.
8 - Poderei alterar estas condições para esclarecer algum ponto ou alterar/acrescentar alguma situação em particular que se venha a revelar necessária.

-----
That's right! Give a great Title and I'll offer you a book!
The book I'm writing was born of a dream, a dream in a scientific fiction context. The first title I gave it was "Scifi Dreams". Obviously this title stopped makin sense as soon as the story grew beyond the initial dream inspiration.
Then I called it "Tuong's Rebellion".
Still, I'm not completly satisfied with this title and, as this is an adventure shared with everyone through the internet, what could be more apropriate than it's title to be given by it's readers?

Think of a great title to this story, tell me I can used without conditions and like this website or my facebook page.
In exchange I'll offer you a book and credit your name in the technical details of this new book when it comes to be published.

I'll be able to choose one of my published books (portuguese only) or you can choose to get one of the first printed copies when this story is publish.
Follow the part of "Tuong's Rebellion" story already published online here: www.armandofrazao.com/l_tuong_en.html


Participation Conditions
1 - To participate send me your title suggestion to the story, now titled "Tuong's Rebellion", through this website's contact form, or leave it in a message/comment in my facebook page.
1.1 - Facebook entries will only be accepted if the person likes (becomes a fan) my facebook page at www.facebook.com/FrazaoArmando.
1.2 - Website contact entries will only be accepted if a valid email address is supplied.
2 - It is mandatory that the participants authorize the use of the suggested title without any other conditions besides the "prize" mentioned below. 3 - The person that suggests the selected title can choose as a prize one of the books I already have published (Pagwagaya or Sonhos da Atlântida - only in portuguese) or a printed copy of this new story as soon as it is publised. In the tecnical details of the book the author of the title will also be credited.
4 - The following factors will be favoured:
    Relevancy to the story and/or to the messages that ti conveys;
    How it sounds. It should be strong, cause an impact, be of easy reading and memorizing;
    Can be translated to portuguese and maintain the same characteristics above;
    Can be graphically applied to a book cover.
5 - I, Armando Frazão and the story's author, am the judge and, although I'll listen comments/opinions or even ask for them, the final decision is mine alone.
6 - If none of the suggested titles is of my liking and/or do not aplly I reserve to right to select no one's suggest title. 7 - This challenge is valid until I decide the book goes to publication.
8 - I might change this conditions to clarify some situation or to alter/add some other situation that I deem necessary.


Fazer velas em casa
Homemade candles

Fazer velas em casa
Há uns tempos atrás tivemos em casa uma grande vela que queimava muito mal! Acabou sem queimar 2/3 da cera!
Deitar toda essa cera fora não me pareceu bem e fui procurar como fazer velas artesanais para reaproveitar o material.
Depois de ler bastante sobre o assunto e procurar em muitas drogarias finalmente encontrei o pavio que me faltava e pus mãos à obra para fazer as primeiras velas em pequenos frascos de vidro.

Derreti a cera em banho maria no fogão e despejei um pouco no fundo do frasco para fixar o pavio deixando secar um pouco essa primeira camada de cera. O pavio já estava cortado à medida e prendi-o com uma mola de roupa que ficou atravessada ao cimo do frasco para segurar o pavio no local enquanto despejava mais cera derretida de modo a encher o restante do frasco.

Diversas notas que podem ser úteis para quem queira fazer algo do estilo:
- tempo total para fazer as duas velas: menos de 2 horas (pode ser muito reduzido com a experiência)
- tempo total para limpar a cozinha depois de entornar uma lata de cera derretida: mais de 5 horas!
- a cera derrete a uma temperatura muito inferior à da ebulição da água. Não é necessário arriscar queimaduras graves.
- o afundamento (causado pela contracção da cera ao arrefecer) é enorme (talvez 30% do volume total da cera) e é preciso tornar a encher o frasco com cera derretida várias vezes para ficar sem afundamento notório ao cimo.
- os preenchimentos seguintes devem ser feitos com cera bem quente de modo a derreter parte da cera já no frasco e fundir-se com ela, ou então ficam duas camadas de cera que podem separar-se.
- o arrefecimento/contracção total da cera pode demorar muito tempo apesar de parecer seca ao fim de uma hora ou menos.
- é melhor manter a mola a segurar o pavio durante pelo menos um dia e/ou várias horas depois do último preenchimento ou este será puxado para baixo com o afundamento da cera.

Feita a vela notei outro detalhe a melhorar: o pavio é grosso demais, puxa demasiada cera que arde com muita intensidade. Dentro do frasco isso derrete cerca de 1 cm da camada superior de cera. Especialmente quando se apaga a vela o pavio deixa de ter sustentação e pode cair para o lado e afundar-se na cera derretida.

As próximas tentativas estão planeadas com uma técnica ligeiramente diferente. Aqui darei notícias sobre os resultados.


-----
Some time ago we had a big candle at home that burned really bad! It burned out and left about 2/3 of the wax as leftovers!
Throwing that on the bin didn't seem a good thing to me and I went looking for information on how to make craft candles to reuse the wax.
After reading a lot about it and after going through many drugstores I finally found the wick I was missing and got to work doing the first candles inside small glass jars.

I melted the wax in a can in a pot of hot water and poured a little in the bottom of the glass jar to pin the wic letting the wax cool down and solidify a litle. The wick was already trimmed to the right size and I used a pin to hold it in place at the top of the jar as I poured in more melted was until the jar was filled.
Several notes for those who might want to atempt a similar endeavour:
- total time to make two candles: less than two hours (can be made faster with experience)
- total time to clean up the kitchen after a completly spilled can of melted wax: more than five hours!
- wax melts at a much lower temperature than boiling water. There's no need to risk severe skin burns.
- the sinking of the wax (caused by contraction as it cools) is huge (about 30% of the total volume) and one needs to refill the jar several times with melted wax to avoid a notorious sinking pit at the top of the candle.
- refilling has to be done with very hot wax so as to melt a bit the existing wax and fuse/melt with it. Otherwise we might get several separated layers of wax.
- the total cooling/contraction of the wax can take a lot of time althoug it might seem dry after less than an hour.
- it's best to keep the pin holding the wick for at least a day and several hours after the last refilling. Otherwise the wick will be pulled down with the wax sinking.

After the candle was made I noticed another issue. The wick is too thick, pulls too much wax and burns too hot. When burning inside the jar it melts about 1cm of wax all around the top. Specially when the candle is lit out the wick has nothing to sustain it and might fall to the side and sink in the melted wax.

Next atempts are planned using a somehow different technique. I'll report the results here! :)


Feira do Livro - Sessão de Autógrafos
Book Fair - Book signing

Feira do Livro - Sessão de Autógrafos
Algumas fotografias da minha sessão de autógrafos na Feira do Livro de 2013.
Este ano o espaço era muito agradável, ao ar livre e com mesas e cadeiras à sombra para os visitantes.
O meu agradecimento a todos quantos passaram por ali, à Ana Brilha pela companhia e conversa e ao Sítio do Livro e restante organização pela oportunidade criada. Obrigado ainda às pessoas que tiraram estas fotografias.

Entretanto a Feira do Livro terminou, mas os livros continuam disponíveis e se não os encontrarem, entrem em contacto comigo que eu faço-vos chegar os exemplares que quiserem.


-----

Some photos of my book signing session at the 2013 edition of Lisbon Book Fair.
This year the setup was realy nice, outdoors and tables and seats, away from the sun, for the visitors.
Many thanks to all of those that came by, to Ana Brilha for its pleasant company and to Sítio do Livro and all the organization for the oportunity. Special thanks to the friends who took these shots.

Meanwhile, the Book Fair is over, but the books are still available and, if you can't find them, contact me and I'll make sure you'll get the ones you want.


Orquídeas Selvagens de Portugal
Portuguese Wild Orchids

Orquídeas Selvagens de Portugal

Mais um ano se passou e a época das orquídeas em Portugal permitiu-me ampliar e renovar a minha colecção de fotografias.
Seleccionei 20 fotografias para o que penso pode vir a ser uma exposição interessante de fotografias de orquídeas selvagens/silvestres de Portugal. Estas fotografias foram todas, sem excepção, fotografadas no local, sem retirar qualquer planta do seu ambiente. Utilizei folhas de papel ou cartão para isolar as mesmas do meio ambiente e depois trabalhei essas imagens de modo a limpar completamente o fundo e destacar assim muito mais as plantas/flores.

Veja o meu artigo anterior sobre Orquídeas Selvagens de Portugal
E veja a Galeria Fotográfica de Orquídeas Selvagens com as 20 fotografias seleccionadas

---

Another year has gone by and wild orchids season in Portugal allowed me to enlarge and renew my colection of photographies.
I seleted 20 photos for what I think might become an interesting exhibition of portuguese wild orchids photographies. Without exception, all these photos were shot in loco, without removing a single plant of its environment. I used paper sheets or cardboard to isolate them from their environment and then worked those images in a way to completely clean the background and this way give a lot more focus to the plants/flowers.

You can read my previous article on Orquídeas Selvagens de Portugal (only portuguese)
And take a look at the Wild Orchids Photographic Gallery showing the 20 selected images.


Sessão de Autógrafos
Book signing


Sessão de Autógrafos No dia 1 de Junho, pelas 16h, vou estar na Feira do Livro de Lisboa para falar com os leitores e autografar os meus livros.
Será no espaço dos pequenos editores e desde já convido todas as pessoas para passarem por lá para trocarem dois dedos de conversa comigo :)

http://facebook.com/FrazaoArmando

---

On the 1st of June, around 4PM, I'll be at the Lisbon Book Fairy to talk with readers and sign my books.
The event will be held in the "espaço dos pequenos editores" (small editors place) and I'm inviting everybody to step by and have a little chat with me:)

http://facebook.com/FrazaoArmando


reCAPTCHA - Google

... e violações de direitos de autor.

CAPTCHA é um mecanismo criado para permitir a uma página web ou aplicação saber se está a ser usada por uma pessoa ou por um programa. Pretende-se prevenir acessos automáticos ilegais e especialmente regularmente repetidos a recursos disponibilizados por essa página web ou aplicação. O mecanismo mais habitual é o pedido para escrever as letras/palavras que se encontram numa imagem, normalmente distorcida.
CAPTCHA é acrónimo de "Completely Automated Public Turing test to tell Computers and Humans Apart".

Uma universidade criou então o reCAPTCHA onde é pedido ao utilizador que escreva duas palavras representadas na imagem. Apenas a mais distorcida é usada na autenticação. A outra é proveniente de um texto qualquer digitalizado e, ao escrevermos as letras dessa palavra estamos a traduzir para texto a digitalização. Uma espécie de OCR pessoal, e muito mais preciso.
Depois a Google comprou o reCAPTCHA e passou a fornecer essa ferramenta de autenticação gratuitamente. Como pagamento obtém o trabalho de digitação dos textos digitalizados feito pelos milhões de utilizadores de sistemas de login que usam o reCAPTCHA.
É sem dúvida uma ideia genial e com um potencial de execução de trabalho tedioso imenso e meritório. Mas eu tenho duas coisas a apontar:
Primeiro, se este trabalho de autenticação é realmente importante e necessário, deveriam ser as empresas que o usam a pagar por ele, e não os seus utilizadores. Pode ser apenas a minha opinião.
Segundo, o que realmente me perturba são as questões de violação de direitos de autor de que a Google é alvo frequentemente. Efectivamente a Google digitaliza livros e outros artigos em massa, muitas vezes sem consultar os autores ou quem detém os direitos sobre esses conteúdos e depois consegue tê-los em texto, distribuí-los e, directa ou indirectamente, conseguir com isso lucro. E tudo isto com a conivência das empresas que usam o reCAPTCHA e com nossa colaboração diária!
Depois de descobrir isso passei a não escrever a segunda palavra quando essa é a digitalizada e a escrever outra coisa qualquer, sem prestar atenção, quando é a primeira. Não afecta a autenticação como pessoa e para já, deixa-me mais sossegado por não estar a participar nisto.
Talvez um dia mude de ideias, não sei.
Pense também nisto.

http://www.google.com/recaptcha
http://en.wikipedia.org/wiki/ReCAPTCHA

---

... and copyright violations.

CAPTCHA is a way web pages and applications use to know if the user is a person or a program. That way, mechanisms that would illegaly access information, or otherwise create system malfunctions by repetitive automatic accesses, can be blocked. The most used CAPTCHA system requests the user to type the letters shown distorted on an image.
CAPTCHA stands for "Completely Automated Public Turing test to tell Computers and Humans Apart".


reCAPTCHA was created by a university and it requests the user to type in two words represented in the image. Only the distorted one is used as human autentication. The other comes from some digitized text and, when typing those letters, we are "translating" the image to text. It's a kind of a manual OCR, but a lot more precise than regular OCR algorithms.
Then Google bought reCAPTCHA and went on supplying that human autentication tool freely. As payment they take the work of millions of users typing the digitized texts displayed by reCAPTCHA in login forms.
It is undoubtedly a genious ideia with a huge potencial of tedious work execution. But I have two issues to point out:
First, if this autentication is really needed and important companies using it should be paying for it, and not its users. I'll admit this might be only a personal opinion.
Second, and what disturbs me the most, are the copyright violation issues that Google is always facing related to massive digitization of books ans other texts without consent of copyright holders. And then, many times, distributing those texts and, directly or indirectly getting profit from it. All of this with consent of companies using reCAPTCHA and our daily cooperation!
After finding this out I just stopped typing the digitizes word, when it is the second one, or typing in something senseless and not paying attention when it's the first. It does not affect the autentication as person and, for now my conscience feels better for not being a part of this.
I might think otherwise in the future, I don't know.
Think about it too.

http://www.google.com/recaptcha
http://en.wikipedia.org/wiki/ReCAPTCHA


A Revolta de Tuong
Tuong's Rebellion


É oficialmente uma estória para um novo livro!
Depois de seis capítulos escritos, com o quarto a ser agora publicado online, era altura de definir objectivos.
Primeiro que tudo um título mais adequado. "Sonhos Scifi" eram apenas uma designação relacionada com o modo como a estória surgiu, mas que dizia pouco sobre a estória em si. "A Revolta de Tuong" já é algo mais adequado ao que se passa. Até pode não ser o título definitivo e por isso deixo de já aqui um desafio ao leitor: se tiver uma sugestão para o título gostava imenso que me dissesse qual.
Segundo, a apresentação online do texto. Agora o livro passa a poder ser lido como se de um verdadeiro livro se tratasse, com páginas e rosto em algo mais parecido com papel. Tenciono ainda criar algumas melhorias a esta nova interface, mas não queria atrasar mais a sua introdução que é uma melhoria significativa ao modo de leitura corrida que até agora tenho apresentado.
Por último continuo com o objectivo de publicar uma nova parte todas as semanas.

Espero que goste e que lhe consiga propocionar algum do prazer de ler um livro como se estivesse na sua mão.
Divulgue aos seus amigos. Obrigado! :)

Clique aqui para entrar na página de apresentação d'A Revolta de Tuong

---

It's officialy a story for a new book!
After six written chapters, the fourth being published online now, it was time to define objectives.
First of all, a real title. "Scifi Dreams" was just a designation of how the story came to be, but it said little about the story itself. "Tuong's Rebellion" is a more exact title for what is going on. It might even not be the final title and I leave here a challenge to the reader: if you have a suggestion for the title, I would love to know it.
Then, the online presentation of the text. Now the book can be read as if it was a real book, with pages and a look that suggests paper, edition paper. I intend to improve further this new interface, but I would not further delay its use since it is a great improvement when related to the straight page text I've been presenting until now.
And for last, I'll still be publishing a new part every week.

I hope you like it and I hope it can give you a little of the satisfaction of reading a book as if it was in your hands.
Share this with your friends. Thank you! :)

Click here to follow to Tuong's Rebellion presentation page


Fotografia Time-lapse
Time-lapse Photography


Fotografia Time-lapse Noutro dia decidi experimentar fotografia time-lapse. Está realmente longe de ser perfeito, mas não acho que o vídeo final seja assim tão mau!

Veja aqui o vídeo

---

The other day I decided to try time-lapse photography. This is really far from flawless, but I don't thing the end result is that bad!

See the video here


WORLD OF WATER

A place of storm, cruel.
My world of water, where nature rules.
But also a place of peace, to heal the soul.
So, maybe there you can find love,
And then my world becomes your world.

WORLD OF WATER


Como Fazer Fotografias Panorâmicas
How to create panoramic images

Como Fazer Fotografias Panorâmicas

Por vezes, o que queremos retratar abrange um ângulo de visão tão grande que não é possível captá-lo apenas com uma fotografia. O melhor modo que conheco de conseguir captar o que vejo, e o que sinto, é fazendo imagens panorâmicas compostas de várias fotografias.
As técnicas base para criar fotografias panorâmicas e para conseguir mostrar numa imagem o que realmente estávamos a ver quando fotografámos.
No futuro tenciono aprofundar algumas destas técnicas.

Leia aqui o artigo completo

-----

Sometimes, what we want to portrait embraces such a wide angle of view that it is not possible to capture it only with one photo. The best way I know of to get in picture what I see, and what I feel, is to create panoramic images made of stitching several photos.
The basic techniques to create panoramic photos and to show in one image what we were really seeing when taking the shots.
In the near future I intend to go deeper into some of these techniques.

Read here the complete article


Sonhos Sci-fi
Sci-fi Dreams

Sonhos Sci-fi

Escrever um estória pequena, para aquecer, baseada num sonho estranho.
Mas uma estória, para mim, descobre-se à medida que se escreve e, se parecia não haver aqui nada... Lá vêm sarilhos!
Depois de escrever as três primeiras partes decidi chamar-lhes prólogo porque me parecem criar um contexto para uma estória interessante, e continuei a escrever.
Não sei o que vai sair daqui, mas seja o que for já está a valer a pena pela surpresa! :)

Leia aqui as primeiras partes

-----

To write a short story, just to get the engines started, inspired in a strange dream.
But for me, a story is discovered at the same time it is written and, when it seemed that there was nothing here... Here comes troubles!
After writing the first three parts, it looked like they created a context for an interesting story. I decided to call them prologue and kept writing.
I don't know what's going to come out of here, but what ever it is, it is already worth it, just for the surprise! :)

Read here the first parts


Apresentação de Pagwagaya em Setúbal
10 de Fevereiro, 16h, Casa da Cultura
Apresentação de Pagwagaya em Setúbal

No dia 10 de Fevereiro vou estar na Casa da Cultura de Setúbal para apresentar e autografar o meu livro Pagwagaya.
Esta apresentação tem o apoio/patrocínio, para além da própria Casa da Cultura, do Bar La Bohème, também de Setúbal.
A Casa da Cultura de Setúbal fica perto da Câmara Municipal, mesmo junto à Praça do Bocage.
É a última apresentação deste livro que tenho planeada.

Veja no evento do facebook mais detalhes.
Veja o Website oficial do Livro Pagwagaya para mais informações.

Morada da Casa da Cultura de Setúbal:
Rua Detrás da Guarda, 26 a 24
Setúbal

localização da Casa da Cultura no google maps.

Encontramo-nos lá.

-----

Next February, the 10th, at 4pm, I'll be presenting and signing my book Pagwagaya in Setúbal, at Casa da Cultura.
This presentation is endorsed by Casa da Cultura de Setúbal and La Bohème Bar.

Facebook event.
Pagwagaya Website
Address of Casa da Cultura de Setúbal:
Rua Detrás da Guarda, 26 a 24
Setúbal

Casa da Cultura in google maps.



Coisas Novas New Stuff

Personagens d'A Revolta de Tuong [en]
escrita|writing - 2013-07-30

A Revolta de Tuong, Naves de Guerra [en]
escrita|writing - 2013-07-03

Dimensões only pt
escrita|writing - 2013-06-16

Técnicas de Fotografia Panorâmica [en]
fotografia|photography - 2013-02-04


Os meus livros My books

Livro Pagwagaya Livro Sonhos da Atlântida

Exposições de Photo
fotografia Exhibitions

Pequenos Animais Tiny Animals
Insectos e Aranhas Insects and Spiders

Portas de Ródão Portas de Ródão
A exposição de Pagwagaya's
Pagwagaya exhibition


Out Site

Armando Frazão passou pelo Armazém
Uma entrevista muito simpática feita pela Rosária do Armazém de Ideias Ilimitada.

Projecto Join2Write
Um livro colaborativo, uma estória escrita por vários autores.
O capítulo VI foi escrito por mim.

Exposição Pequenos Animais
Exposição de Fotografia no moinho-sede da Quercus Bragança


Contactos Contacts

Armando Frazão no facebook
http://www.facebook.com/FrazaoArmando

Form de Contacto | Contact Form






Arquivo Archive

2012

2012-12-05
Presentes de Natal/ Christmas Gifts
 
2012-11-27
Orquídeas Selvagens / Wild Orchids
 
2012-11-12
Portas de Ródão - Exposição de fotografia / Photo exhibition
 
2012-11-09
Reciclar e Reutilizar / Recycling and Reusing
 
2012-11-01
Écran de focagem com split screen
 
2012-10-03
Apresentação de Pagwagaya em Vila Velha de Ródão
 
2012-09-12
Portas de Ródão, monumento natural
 
2012-08-30
Orquídeas Selvagens de Portugal
 
2012-08-19
Novo website de fotografia de Armando Frazão
 
2012-08-15
O Auto da Feiticeira Cotovia
 
2012-07-27
Localização do moinho-sede da Quercus Bragança
 
2012-07-19
Apresentação Pagwagaya - Quercus Bragança